Tornar-se Associado
Encontre um osteopata
perto de si
 
OK

Uma associação ao serviço da osteopatia

A AOST – Associação dos Osteopatas de Portugal, poderemos dizer que nasceu em 1990 com o nome de AOP – Associação dos Osteopatas de Portugal. Em 1995 mudou para AROP – Associação e Registo dos Osteopatas de Portugal, com a finalidade de passar a ser o Registo dos osteopatas em Portugal.

A AROP e a FPO – Federação Portuguesa de Osteopatas (composta por 3 associações: a ANO - Associação Nacional de Osteopatas fundada em 1986, a ACPO - Associação Colegial Portuguesa de Osteopatas, fundada em 1994 e a AOD - Associação dos Osteopatas Diplomados, fundada em 2008), as maiores e mais antigas associações independentes de osteopatas em Portugal estiveram envolvidas em todo o processo de reconhecimento e regulamentação da osteopatia não só em Portugal como na Europa e fora dela.

Ao longo dos anos trabalhando em conjunto, partilhando dos mesmos princípios pela defesa da osteopatia, decidiu-se em 2019 proceder à fusão destas associações, mudando a denominação para AOST – Associação dos Osteopatas de Portugal.

 

A AOST tem como objetivo uma estratégia comum de desenvolvimento da Osteopatia, tanto a nível académico como profissional, bem assim como a consolidação e melhoria da atual legislação sobre o sector.
 

A AOST nasce para fazer a diferença no panorama associativo da Osteopatia e que pretendemos, seja a escolha natural de todos os osteopatas como associação de eleição na defesa dos seus direitos.
 

A AOST marca o início de uma nova etapa no associativismo osteopático. Sendo uma nova associação, ela assenta, contudo numa larga experiência de entrega e excelência das duas organizações associativas que a precederam, sendo uma associação direcionada a todos os osteopatas. É uma associação multifacetada que criará as condições necessárias à valorização dos osteopatas que a integram, assumindo, por isso, uma imagem única, idónea, responsável, representativa dos osteopatas.

 

 

A AOST participa como membro efetivo da EFFO - European Federation & Forum for Osteopathy, contribuindo ativamente para a regulamentação e reconhecimento da Osteopatia a nível mundial.

Requisitos para ser membro

Ser detentor de cédula profissional em osteopatia. Estudantes de uma licenciatura em osteopatia numa Escola Superior de Saúde acreditada pela A3ES (sócios estudantes).
SABER MAIS

O que é a Osteopatia?

"A osteopatia é a terapêutica que tem como objetivo diagnosticar diferencialmente, tratar e prevenir distúrbios neuro-músculo-esqueléticos e outras alterações relacionadas, utilizando uma variedade de técnicas manuais e outras afins necessárias ao bom desempenho osteopático para melhorar funções fisiológicas e ou a regulação da homeostase que pode estar alterada por disfunções somáticas, neuro-músculo-esqueléticas e elementos vasculares, linfáticos e neuronais relacionados." (Portaria 207-B de 2014)

O médico americano Andrew Still identificou a inter-relação entre o sistema músculo-esquelético e o resto do corpo. Still defendia que o bom equilíbrio das estruturas ósseas (osteo significa osso, em grego) é crucial para evitar o aparecimento de disfunções e de doenças (pathos significa doença).

 

A osteopatia é, assim, uma ciência terapêutica baseada na biomecânica do organismo e assenta no princípio de que o corpo funciona como uma unidade composta de diferentes partes móveis, tais como: músculos, articulações, órgãos, vísceras, circulação sanguínea e linfática, respiração, etc.

 

Qualquer disfunção numa destas unidades vai afectar o equilíbrio de todo o conjunto e alterar o bem-estar global do indivíduo.

 

O vasto leque de técnicas manuais de diagnóstico e terapêutica utilizadas em Osteopatia permitem restaurar o equilíbrio do corpo, reflectindo-se a nível estrutural, funcional e global, e podem ser utilizadas desde o recém-nascido ao idoso.

 

Em Portugal a Osteopatia foi legalmente reconhecida como Terapêutica Não convencional (TNC), pela Lei nº 45/2003, de 22 de Agosto. Em 2013 foi publicada a Lei n.º 71/2013 de 2 de setembro, que vem “regulamentar a Lei n.º 45/2003, relativamente ao exercício profissional das atividades de aplicação de terapêuticas não convencionais”.

Posteriormente foram publicadas as seguintes Portarias:

- Portaria n.º 181/2014 de 12 de setembro, que “vem regular o acesso à cédula profissional dos terapeutas que, à data da entrada em vigor da referida lei, se encontram a exercer atividade em alguma das áreas de TNC”;

- Portaria n.º 182/2014 de 12 de setembro, que define que “aos locais de prestação de TNC aplica-se, com as devidas adaptações, o regime jurídico a que estão sujeitos a abertura, a modificação e o funcionamento das unidades privadas de serviços de saúde”;

- Portaria n.º 182-A/2014 de 12 de setembro, que “prevê que pela emissão da cédula profissional é devido o pagamento de uma taxa de montante a fixar por portaria…”

- Portaria n.º 200/2014 de 3 de outubro, que “obriga os profissionais das TNC a disporem de um seguro de responsabilidade civil no âmbito da sua atividade profissional, o mesmo deve obedecer às condições mínimas ora elencadas…”

- Portaria n.º 207-B/2014 de 8 de outubro, “visa fixar a caracterização e o conteúdo funcional da profissão de osteopata”;

- Portaria n.º 172-E/2015 de 5 de junho, que “regula os requisitos gerais que devem ser satisfeitos pelo ciclo de estudos conducente ao grau de licenciado em Osteopatia”.

- Lei n.º 109/2019 que modifica o regime de atribuição de cédulas profissionais de 2013, com a segunda alteração à Lei n.º 71/2013, de 2 de setembro, tendo sido reiniciado imediatamente o processo de regulamentação, com atribuição das respetivas Cédulas Profissionais.

SABER MAIS

O que é um osteopata?

Os Osteopatas usam uma vasta variedade de técnicas de tratamento: técnicas diretas, indiretas (articulares de Sutherland e fasciais), miotensivas, pontos gatilho (ou de Jones), reflexas, etc.

Abordam todo o corpo humano nas diversas esferas: estrutural, visceral e craniana.

 

Um tratamento manipulativo em qualquer das suas vertentes, seja ela estrutural, visceral, craniano, etc., é ministrado com o objectivo de restaurar a homeostasia estrutural com subsequentes efeitos benéficos tanto para as suas próprias estruturas como para os variados mecanismos fisiopatológicos envolvidos.

São utilizadas técnicas suaves de libertação fascial em especial quando se tratam pacientes muito jovens ou muito idosos. 

Encontre um osteopata
perto de si
 
OK

Destaques

EFFO - GENERAL MEETING SEPTEMBER 2020
18 Setembro, 2020

A Reunião Geral de setembro da EFFO - European Federation & Forum for Osteopathy, decorreu nos dias 18 e 19 via Web, com a participação de Portugal.

 

CÉDULA PROFISSIONAL PROVISÓRIA
14 Setembro, 2020

Se tens Cédula Profisional provisória tens apenas 2 anos para efetuar a formação necessária à obtenção da Cédula Profissional definitiva. 

Após este período não terás mais nenhuma oportunidade de obter uma Cédula Profissional na área passando a ser crime o exercício de Osteopatia sem Cédula.

 

COVID-19 NORMAS PARA A OSTEOPATIA
04 Maio, 2020

A prática clínica da Osteopatia exige por parte do osteopata um contacto muito próximo com o paciente, por conseguinte torna-se necessário a adoção de mediadas de higiene e segurança que não coloquem em risco os osteopatas e sobretudo os utentes/ pacientes.

QUER SER OSTEOPATA?
04 Julho, 2018

Em Portugal foram reconhecidas e acreditadas 9 licenciaturas em osteopatia. 

Não se deixe enganar com cursos não reconhecidos!